Entertainment, Entretenimento

Estreia hoje, o documentário “Jia Zhang-ke, um homem de Fenyang” dirigido por Walter Salles.

Por Bianca Dubeux Nin

1 Word of the day: Art

“Walter Salles apaixonado pelo cinema de Jia Zhang -ke, realiza um filme de amor pela sétima arte” (Quinlan, Italia).

O cineasta brasileiro Walter Salles lança o documentário “Jia Zhang-ke, um homem de Fenyang”, sobre o cineasta chines pouco conhecido pelo grande público, devido ao seu maior envolvimento ao circuito de festivais. O diretor de “Central do  Brasil”, “Diários de Uma Motocicleta” e “Na Estrada” expressa através de seus olhos cinematográficos a vida e obra de Jia Zhang-ke, responsável pelos premiados “Um Toque de Pecado” e “Em Busca da Vida”. O longa também abrange reflexões sobre a transformação da sociedade chinesa, revolução cultural e globalização.image001

O documentário irá despertar o interesse da filmografia do diretor chinês, relembrando vários momentos marcantes de suas obras. O longa de Salles debate a importância da trilha sonora nos filmes e ainda escuta atores que trabalharam com Jia com destaque para Zhao Thao.

“Jia Zhang-ke, um homem de Fenyang”, dirigido por Walter Salles, estreia hoje, dia 3 de setembro em no Rio de Janeiro e em São Paulo, e na quinta seguinte, dia 10, entra em cartaz em Porto Alegre, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Salvador, Fortaleza e Recife.Hoje no Rio de Janeiro, haverá uma sessão do documentário e debate com Walter Salles  às 20h no Espaço Itaú Cinemas, na Praia de Botafogo com entrada gratuita para estudantes devidamente identificados. A gratuidade está sujeita à lotação da sala. E o Instituto Moreira Salles, que também exibirá o documentário, fará a Semana Jia Zhang-ke com os filmes de Zhang-ke. “Plataforma”, “Em Busca da Vida” e “Um Toque de Pecado”.

Produzido pela VideoFilmes, Jia Zhang-ke, um Homem de Fenyang estreou mundialmente na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo de 2014, onde Salles destacou que o filme é “uma homenagem de um cinéfilo apaixonado”. O documentário também foi exibido na Mostra Panorama do Festival de Berlim de 2015 e será exibido no Festival Internacional de San Sebastian na Mostra Zalbategi.

Cultura, Entertainment

Carnaval no Rio de Janeiro

Por Isadora Bertolini

orquestravoadora_2014_luciano_oliveira-1710

Pra quem acha que o carnaval acaba na quarta-feira de cinzas, está muito enganado. A folia no Rio de Janeiro, uma das mais disputadas do Brasil, vai até o próximo domingo, com programa para todos os gostos. Os blocos de rua, que a cada ano se multiplicam arrastaram milhares de foliões por vários bairros da cidade. Os mais disputados ficavam entre o trecho zona sul – centro, chegando a contabilizar mais de 60 mil pessoas no Cordão do Boitátá, um dos mais tradicionais do Rio.

A regra esse ano era unânime em todos os desfiles. Quanto mais purpurina você tivesse no corpo, melhor. As tatuagens metálicas também fizeram sucesso, deixando no ar somente um mistério: “ Como tirá-las depois?”

10998041_846776218699647_8235646337313238222_n

A cidade ainda tem se esforçado para manter a segurança e estrutura nos blocos, mas o resultado que fica na quarta- feira são sempre ruas sujas de lixo e muitos furtos e assaltos em meio às multidões. A dica é sempre andar com poucos pertences, e de preferência todos guardados em “ doleiras’’ por baixo das fantasias.

 

Para os que não curtem tanto multidão – e calor batendo os 40 graus – a solução era curtir os desfiles das escolas de samba no Sambódromo, à noite. Pela passarela do samba passaram 12 escolas do grupo especial, em duas noites, e a grande vencedora foi a Beija – Flor de Nilópolis, com enredo controverso sobre a Guiné Equatorial. Foi o 13º título da agremiação de Nilópolis.

A quarta- feira ingrata, cbeija-flor-carnaval-2015-no-rio-de-janeiro-foto-raphael-marco-antonio-cavalcanti-riotur_201502170079-850x566omo muitos chamam o último dia de folia, deixa saudade desses dias de alegria intermináveis, sorrisos e muito amor. E uma certeza: ano que vem tem mais.

 

Sobre Isadora Bertolini

Isadora Bertolini é formada em Jornalismo pela PUC RJ, e já passou por diversas áreas dentro da profissão. Há dois anos descobriu seu amor pelo cinema, trabalhando no premiado documentário sobre a vida do jornalista Tim Lopes. Hoje em dia trabalha como produtora de documentários e séries de TV na Avexi Filmes.

Cultura, Entertainment, Entretenimento

Indicados ao Oscar 2015

Por Bianca Nin McMahan

Oscar Nominations Banner

O evento mais esperado do ano em Los Angeles está chegando! ‘Birdman’ e ‘O Grande Hotel Budapeste’ concorrem em nove categorias na 87ª edição do Oscar. Disputa acirrada entre os longas para as principais categorias de filme, diretor, roteiro original e fotografia. A cerimônia de entrega será no dia 22 de Fevereiro  no Teatro Dolby em Los Angeles.

Veja a lista completa de Indicados ao Oscar 2015:

Melhor filme: “Sniper americano”Birdman” “Boyhood: Da infância à juventude” “O grande hotel Budapeste” “O jogo da imitação” “Selma” “A teoria de tudo” “Whiplash”

Birdman-e-O-Grande-Hotel-Budapeste-lideram-as-indicações-ao-Oscar-2015

Melhor diretor: Alejandro Gonzáles Iñárritu (“Birdman”) Richard Linklater (“Boyhood”) Bennett Miller (“Foxcatcher: Uma história que chocou o mundo”) Wes Anderson (“O grande hotel Budapeste”) Morten Tyldum (“O jogo da imitação”)

Melhor ator: Steve Carell (“Foxcatcher”) Bradley Cooper (“Sniper americano”) Benedict Cumbertatch (“O jogo da imitação”) Michael Keaton (“Birdman”) Eddie Redmayne (“A teoria de tudo”)

Melhor ator coadjuvante: Robert Duvall (“O juiz”) Ethan Hawke (“Boyhood”) Edward Norton (“Birdman”) Mark Ruffalo (“Foxcatcher”) JK Simons (“Whiplash”)

Melhor atriz: Marion Cotillard (“Dois dias, uma noite”) Felicity Jones (“A teoria de tudo”) Julianne Moore (“Para sempre Alice”) Rosamund Pike (“Garota exemplar”) Reese Whiterspoon (“Livre”)

Melhor atriz coadjuvante Patricia Arquette (“Boyhood”) Laura Dern (“Livre”) Keira Knightley (“O jogo da imitação”) Emma Stone (“Birdman”) Meryl Streep (“Caminhos da floresta”)

Melhor filme em língua estrangeira: “Ida” (Polônia) “Leviatã” (Rússia) “Tangerines” (Estônia) “Timbuktu” (Mauritânia) “Relatos selvagens” (Argentina)

Melhor documentário: “O sal da terra” “CitizenFour” “Finding Vivian Maier” “Last days” “Virunga”

 Melhor documentário em curta-metragem  “Crisis Hotline: Veterans Press 1” “Joanna” “Our curse” “The reaper (La Parka)” “White earth”
Melhor animação: “Operação Big Hero” “Como treinar o seu dragão 2” “Os Boxtrolls” “Song of the sea” “The Tale of the Princess Kaguya”
Melhor animação em curta-metragem “The bigger picture” “The dam keeper” “Feast” “Me and my moulton” “A single life”
Melhor curta-metragem em ‘live-action’ “Aya” “Boogaloo and Graham” “Butter lamp (La lampe au beurre de Yak)” “Parvaneh” “The phone call”
Melhor roteiro original :Alejandro G. Iñárritu,Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando Bo (“Birdman” Richard Linklater (“Boyhood”) E. Max Frye e Dan Futterman (“Foxcatcher”) Wes Anderson e Hugo Guinness (“O grande hotel Budapeste”) Dan Gilroy (“O abutre”)
Melhor roteiro adaptado Jason Hall (“Sniper americano”) Graham Moore (“O jogo da imitação”) Paul Thomas Anderson (“Vício inerente”) Anthony McCarten (“A teoria de tudo”) Damien Chazelle (“Whiplash”)
Melhor fotografia: Emmanuel Lubezki (“Birdman”) Robert Yeoman (“O grande hotel Budapeste”) Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski (“Ida”) Dick Pope (“Sr. Turner”) Roger Deakins (“Invencível”)
Melhor edição Joel Cox e Gary D. Roach (“Sniper americano”) Sandra Adair (“Boyhood”) Barney Pilling (“O grande hotel Budapeste”) William Goldenberg (“O jogo da imitação”) Tom Cross (“Whiplash”)

 predicting-the-oscar-nominations

Melhor design de produção “O grande hotel Budapeste” “O jogo da imitação” “Interestelar” “Caminhos da floresta” “Sr. Turner”

Melhores efeitos visuais Dan DeLeeuw, Russell Earl, Bryan Grill e Dan Sudick (“Capitão América 2: O soldado invernal”) Joe Letteri, Dan Lemmon, Daniel Barrett e Erik Winquist (“Planeta dos macacos: O confronto”) Stephane Ceretti, Nicolas Aithadi, Jonathan Fawkner e Paul Corbould (“Guardiões da Galáxia”) Paul Franklin, Andrew Lockley, Ian Hunter e Scott Fisher (“Interestelar”) Richard Stammers, Lou Pecora, Tim Crosbie e Cameron Waldbauer (“X-Men: Dias de um futuro esquecido”)

Melhor figurino Milena Canonero (“O grande hotel Budapeste”) Mark Bridges (“Vício inerente”) Colleen Atwood (“Caminhos da floresta”) Anna B. Sheppard e Jane Clive (“Malévola”) Jacqueline Durran (“Sr. Turner”)

Melhor maquiagem e cabelo Bill Corso e Dennis Liddiard (“Foxcatcher”) Frances Hannon e Mark Coulier (“O grande hotel Budapeste”) Elizabeth Yianni-Georgiou e David White (“Guardiões da Galáxia”)

Melhor trilha sonora Alexandre Desplat (“O grande hotel Budapeste”) Alexandre Desplat (“O jogo da imitação”) Hans Zimmer (“Interestelar”) Gary Yershon (“Sr. Turner”) Jóhann Jóhannsson (“A teoria de tudo”)

Melhor canção “Everything is awesome”, de Shawn Patterson (“Uma aventura Lego”) “Glory”, de John Stephens e Lonnie Lynn (“Selma”) “Grateful”, de Diane Warren (“Além das luzes”) “I’m not gonna miss you”, de Glen Campbell e Julian Raymond (“Glen Campbell…I’ll be me”) “Lost Stars”, de Gregg Alexander e Danielle Brisebois (“Mesmo se nada der certo”)

Melhor edição de som Alan Robert Murray e Bub Asman (“Sniper americano”) Martín Hernández e Aaron Glascock (“Birdman”) Brent Burge e Jason Canovas (“O hobbit: A batalha dos cinco exércitos”) Richard King (“Interestelar”) Becky Sullivan e Andrew DeCristofaro (“Invencível”)

Melhor mixagem de som John Reitz, Gregg Rudloff e Walt Martin (“Sniper americano”) Jon Taylor, Frank A. Montaño e Thomas Varga (“Birdman”) Gary A. Rizzo, Gregg Landaker e Mark Weingarten (“Interestelar”) Jon Taylor, Frank A. Montaño e David Lee (“Invencível”) Craig Mann, Ben Wilkins e Thomas Curley (“Whiplash”)